Atkins é a dieta mais eficiente, diz pesquisa

da BBC, em Londres

Mulheres que seguiram a dieta Atkins por um ano perderam mais peso e tiveram os efeitos mais positivos no colesterol e na pressão sanguínea, de acordo com uma pesquisa realizada nos Estados Unidos.

O estudo da Universidade de Stanford colocou 311 mulheres em quatro dietas diferentes.

A dieta Atkins, pobre em carboidrato e rica em proteína, foi a que mostrou os melhores resultados, com perda de peso média de 4,7 quilos em um ano.

As mulheres que seguiram a dieta Atkins também apresentaram redução do mau colesterol e da pressão, além de um aumento nos níveis do bom colesterol.

O grupo que seguiu a dieta Learn (pobre em gordura e rica em carboidratos) perdeu em média 2.6 kg. Quem fez a dieta Ornish (muito rica em carboidratos e muito pobre em gorduras) perdeu 2.17 kg. O último grupo seguiu a dieta Zone (focada em uma proporção de 40:30:30 de carboidratos, proteínas e gorduras) e emagreceu em média 1.59 kg.

O estudo, publicado na revista Journal of the American Medical Society, foi realizado de forma a imitar as condições da vida real. As participantes tiveram aulas explicando as dietas nas primeiras oito semanas, e depois receberam livretos com dicas sobre como seguir os regimes.

Simplicidade

Para o pesquisador Christopher Gardner, a simplicidade da dieta Atkins pode ter sido responsável pelos bons resultados.

“É uma mensagem muito simples. Corte todos os carboidratos refinados para perder peso”.

Além disso, o fato de a dieta ser rica em proteínas também pode ajudar, já que faz com que as pessoas se sintam satisfeitas mais rápido.

“Muitos profissionais de saúde, incluindo nós, ou descartam o valor das dietas muito baixas em carboidratos ou estão céticos em relação a elas’, disse Gardner. “Mas elas parecem ser uma alternativa viável para quem faz dieta.”

Apesar dos bons resultados da Atkins nos doze meses da pesquisa, alguns membros do grupo que seguiu essa dieta começaram a engordar novamente no final do estudo.

Longo prazo

A pesquisa não analisou os efeitos de longo prazo das dietas.

Críticos dos regimes baixos em carboidratos e ricos em proteínas dizem que eles podem trazer problemas como doenças cardíacas.

Os pesquisadores admitiram a possibilidade de que as conseqüências negativas das dietas possam aparecer no futuro.

A médica Frankie Phillips, da Associação Dietética Britânica, disse que os efeitos de longo prazo da Atkins ainda não são claros.

“Nossa preocupação com as dietas baixas em carboidratos é que elas limitam severamente a quantidade de comidas integrais saudáveis que as pessoas podem comer”, disse.

“As pessoas deveriam considerar se uma dieta exclui um grupo específico de alimentos pode fornecer todos os nutrientes necessários para que o corpo funcione direito.”

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos