Rei da Jordânia cobra liderança dos EUA no Oriente Médio

da BBC, em Londres

O rei da Jordânia, Abdullah, disse nesta quarta-feira em Washington que os Estados Unidos precisam usar seu poder e influência de forma mais decisiva no esforço para promover a paz no Oriente Médio.

Abdullah, que falou aos Senadores e representantes (deputados) americanos reunidos em uma sessão conjunta, disse que a situação enfrentada por israelenses e palestinos “está puxando a região e o mundo para um perigo maior (…)” e que “o ciclo de crise está ganhando força rapidamente”.

“A comunidade internacional, especialmente os Estados Unidos, precisa se engajar para impulsionar o processo, a fim de que tenha resultado”, disse.

“O povo da região ainda vê os Estados Unidos como crucial para a paz, o único país capaz de aproximar os dois lados, responsabilizando-os e tornando realidade uma solução justa.”

Segundo o correspondente da BBC na capital americana James Coomarasamy, o discurso de Abdullah foi um alerta a Washington, contendo uma crítica implícita à falta de envolvimento americano no conflito entre palestinos e israelenses.

Resultados
 Sessenta anos de expropriação dos palestinos, 40 anos de ocupação (…) deixaram um amargo legado de decepção e desespero
 
Rei Abudullah da Jordânia


Segundo o rei jordaniano, os Estados Unidos têm obrigação política e moral de ter papel de liderança no processo.

“Nada pode estabelecer mais claramente a visão americana. Nada pode alcançar e ensinar à juventude do mundo mais diretamente do que a sua liderança em um processo de paz que tenha resultados - não no ano que vem, não em cinco anos, mas neste ano”, disse.

Abdullah disse que a situação enfrentada por palestinos e israelenses é violenta e inaceitável, tanto para o Oriente Médio como para o restante do mundo.

“Nós estamos todos correndo o risco de sermos vítimas de mais violência, resultado de ideologias de terror e ódio. É o nosso maior e mais urgente dever prevenir esse perigo para nossa região, para seu país, e para o mundo”, disse.

Abdullah também pediu apoio americano a um plano de paz proposto pela Arábia Saudita em 2002, que propôs o reconhecimento de Israel por todos os países árabes em troca de um Estado palestino viável.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos