Topo

Iranianos anunciam derrubada de "drone espião" dos Estados Unidos

REUTERS/HANDOUT
Imagem de arquivo mostra avião não tripulado RQ-4 4 Global Hawk, mesmo modelo que teria sido abatido por iranianos Imagem: REUTERS/HANDOUT

2019-06-20T07:04:00

20/06/2019 07h04

Um avião não tripulado da Marinha dos Estados Unidos foi derrubado enquanto voava sobre o Estreito de Ormuz, segundo o grupo Os Guardiões da Revolução do Irã. O Ministério do Exterior confirmou que a aeronave americana violou o espaço aéreo do país e alertou para as consequências do ato. As imagens do objeto abatido não foram divulgadas.

Autoridades americanas negam que o drone tenha invadido o território iraniano. O avião não tripulado serviria para operações de espionagem perto do Estreito de Ormuz, onde vários incidentes foram registrados no mês passado.

Segundo comunicado emitido pelos Guardiões, o drone, do tipo RQ-4 Global Hawk, entrou no espaço aéreo iraniano na madrugada desta quinta, sobrevoando a região de Koohe Mobarak, na província de Hormozgan, no sul do país.

O porta-voz do Ministério do Exterior do Irã Abbas Mousavi condenou, segundo a televisão estatal iraniana, o que chamou de violação do espaço aéreo do país e alertou para as consequências de tais "medidas ilegais e provocadoras".

Não houve uma reação oficial imediata de Washington. Entretanto, autoridades americanas citadas anonimamente pela agência de notícias Reuters teriam afirmado que o drone citado por Teerã se encontrava em espaço aéreo internacional. Um porta-voz militar americano declarou que nenhuma espaçonave esteve em atividade dentro daquele país.

Os Guardiões, apontados pelos EUA como um grupo terrorista, denunciaram que o drone "violou o espaço aéreo territorial iraniano".

O Estreito de Ormuz é a única ligação entre o Golfo Pérsico e os oceanos, sendo um ponto geográfico estratégico pelo qual passa um quinto dos carregamentos de petróleo mundial. Ele está localizado a apenas 80 quilômetros dos Emirados Árabes Unidos e de Omã.

A derrubada do drone ocorre em meio ao aumento da tensão entre o Irã e os EUA no Oriente Médio, com troca de ameaças entre os dois países em torno daquela área e depois de Washington ter decidido enviar mais tropas à região e fortalecer sua instalação militar de navios e mísseis no Golfo Pérsico.

Semana passada, dois navios petroleiros sofreram danos graves no Golfo de Omã, próximo à costa iraniana, e os Estados Unidos culpam Irã pelos atentados, ocorridos quase um mês depois de ataques a outros quatro navios, incluindo três navios-tanque, na costa dos Emirados Árabes Unidos.

Museu da KGB traz exposição com segredos da espionagem russa

redetv

Mais Internacional