Moscou desmente nova violação do espaço aéreo turco

Moscou, 30 jan (EFE).- O Ministério da Defesa da Rússia desmentiu neste sábado a denúncia da Turquia sobre uma nova violação de seu espaço aéreo feita por um avião militar russo.

"Não houve violação do espaço aéreo da Turquia por aviões do grupo aéreo russo na Síria", declarou à Agência "Interfax" o porta-voz do Ministério da Defesa, Igor Konashenkov.

O governo da Turquia convocou hoje o embaixador da Rússia para falar sobre a nova violação de seu espaço aéreo, segundo informou horas antes o Ministério das Relações Exteriores turco.

De acordo com seu comunicado, o incidente aconteceu ontem às 9h46 GMT (7h46 em Brasília) e foi protagonizado por um caça SU-34 da Força Aérea russa, cujo piloto foi advertido minutos antes pelos operadores de radares turcos em russo e inglês.

"Até os especialistas turcos em defesa aérea sabem que seus radares só podem detectar a altitude, o rumo e a velocidade" de um avião, mas não seu tipo nem se pertence à Rússia ou à coalizão liderada pelos Estados Unidos que bombardeia aos jihadistas na Síria, afirmou o porta-voz militar russo.

Konashenkov tachou as afirmações de que o suposto piloto russo teria sido avisado de obra de "propagandistas analfabetos que viram muitos filmes de Hollywood".

"Podemos declarar categoricamente que nem os meios de defesa aérea russos na Síria nem os radares de controle aéreo sírios detectaram violação da fronteira sírio-turca", concluiu.

Enquanto isso, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, advertiu que a Rússia deverá assumir as consequências caso seus caças continuem violando o espaço aéreo turco, tal como aconteceu ontem.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, por sua vez, pediu à Rússia para respeitar plenamente o espaço aéreo da Aliança Atlântica e tomar todas as medidas necessárias para não voltar a violá-lo.

Em 24 de novembro do ano passado, a Força Aérea turca derrubou um caça SU-24 russo que estava em missão no noroeste da Síria e que, segundo a versão do governo turco, negada por Moscou, penetrou durante breves momentos em seu espaço aéreo.

A queda, que resultou na morte de um dos dois pilotos, criou uma grande tensão entre o governo turco e o Executivo russo, que impôs à Turquia várias sanções, especialmente no setor do turismo e do comércio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos