Conheça o perfil dos protagonistas das eleições gerais espanholas

Em Madri

Os líderes do PP (centro-direita), PSOE (socialistas), da coalizão Unidos Podemos (esquerda) e dos Ciudadanos (liberais) disputam as eleições gerais de domingo (26), seis meses depois do último pleito, após o qual não foi possível formar governo.

Mariano Rajoy

Daniel Ochoa de Olza/AP

Presidente do Executivo e líder do Partido Popular (PP, centro-direita), aspira à reeleição após quatro anos de mandato e seis meses de mandato interino depois das eleições de 20 de dezembro. Com 61 anos, é o candidato mais velho, já que também se apresentou como aspirante ao principal cargo do país em 2004, 2008, 2011 e 2015.

Nas duas primeiras ocasiões perdeu as eleições, em 2011 ganhou com maioria absoluta e em 2015 ganhou com maioria simples, mas recusou se submeter à posse como presidente do Governo por considerar que não tinha apoio suficiente no Congresso dos deputados.

O PP governou a Espanha por 13 anos desde a restauração em 1977 da democracia após a ditadura franquista e teve dois presidentes de governo: José María Aznar (1996-2004) e Mariano Rajoy (2011-2016).

Pedro Sánchez

Pedro Armestre/AFP

Concorre como candidato socialista pela segunda vez, já que participou do pleito do final de 2015. Pretende recuperar o governo para o PSOE, após cinco anos na oposição.

Com 44 anos, Sánchez era um total desconhecido para os espanhóis até sua escolha como secretário-geral em 2014. Desde então, percorreu a Espanha para se fazer conhecer, primeiro como candidato às primárias socialistas e em 2015 como líder da lista do PSOE para as eleições gerais.

Após a renúncia de Rajoy, em março de 2016 se submeteu à posse como presidente do Governo, apesar de PSOE ter sido o segundo partido no parlamento, mas fracassou em sua tentativa, já que só conseguiu o apoio dos Ciudadanos.

O Partido Socialista, fundado em 1879, governou a Espanha durante 21 anos desde a restauração da democracia, com Felipe González (1982-1996) e José Luis Rodríguez Zapatero (2004-2011).

Pablo Iglesias

Candidato da coalizão Unidos Podemos, que antes criticava os políticos tradicionais aos quais qualificava de "casta", deseja ser presidente do Governo pela segunda vez em menos de 12 meses.

Aos 37 anos e com um estilo descontraído, começou a ganhar popularidade nas propagandas televisivas, até chegar a debater com os principais líderes políticos da Espanha, de quem pretende ganhar nas urnas.

O Podemos, que nasceu para ser a voz dos movimentos de "indignados" surgidos em 2011, obteve quatro anos mais tarde 69 cadeiras no Congresso espanhol. Para as eleições de 26 de junho, o partido concorre em coalizão com o Esquerda Unida, com o qual aspira a aumentar o número de cadeiras e arrebatar do PSOE a liderança da esquerda.

Albert Rivera

Líder dos Ciudadanos, se transformou em uma referência para a política nacional espanhola em pouco mais de dois anos, após ter feito carreira no parlamento da região da Catalunha desde 2006, onde centrou seu discurso na defesa da unidade da Espanha perante o auge do independentismo.

Com 36 anos, é um dos candidatos mais jovens da corrida eleitoral e o melhor avaliado pelos espanhóis, segundo as pesquisas. Concorre pela segunda vez como candidato à presidência do governo, após as eleições de dezembro de 2015, nas quais seu partido ficou em quarto lugar na primeira vez que se apresentava para o pleito nacional.

Os Ciudadanos é defindo como centro-liberal e aspira se transformar no partido que facilita a governabilidade perante a perspectiva de que nenhum partido consiga maioria suficiente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos