Trump pede EUA fora do NAFTA: "pior tratado comercial da história"

Washington, 28 jun (EFE).- Virtual candidato do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos, o empresário Donald Trump propôs nesta terça-feira que o país deixe o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA), o qual classificou como o "pior da história".

Em discurso em Monessen, no estado da Pensilvânia, Trump criticou duramente o ex-presidente Bill Clinton, que assinou o acordo entre EUA, México e Canadá; e sua esposa, a senadora democrata Hillary Clinton, com quem o bilionário deve disputar a presidência nas eleições de novembro. O casal apoia o tratado.

Trump disse que, caso chegue à Casa Branca, irá primeiro renegociar as condições do NAFTA com os dois países "para conseguir um melhor tratamento" para os trabalhadores americanos, mas caso não consiga, invocará "o artigo 2205 do NAFTA" pelo qual os EUA "notificarão que têm a intenção de sair do acordo".

Além disso, o magnata atacou o Tratado Transpacífico (TPP, em inglês), pelo qual 11 países, mais os Estados Unidos, criaram novos laços comerciais, e garantiu que, se chegar à presidência, tirará seu país do mesmo.

O TPP "seria um golpe mortal para a indústria manufatureira dos Estados Unidos", afirmou Trump a correligionários em discurso marcado por sua rejeição à situação atual do comércio exterior americano.

"Ordenarei ao secretário de Comércio que identifique as violações de comércio que no exterior estão sendo utilizadas para prejudicar os trabalhadores americanos e indicarei às agências (governamentais) que utilizem todas as táticas legais para pôr fim a essas práticas", reiterou.

O bilionário apelou também "à independência econômica" dos Estados Unidos em favor da criação de postos de trabalho, em alusão à decisão o Reino Unido de sair da União Europeia (UE).

Trump insistiu que "a globalização acabou com a classe média", mas espera "dar a volta por cima nesta situação", com a renegociação ou eliminação de tais tratados de livre-comércio que, segundo ele, minam a força de trabalho americano.

"Os EUA trocaram sua política de promover o desenvolvimento nos EUA por promover o desenvolvimento em outras nações", acrescentou.

Trump também culpou o casal Clinton de permitir a entrada da China na Organização Mundial do Comércio (OMC), um movimento que rotulou como um "desastre", e antecipou que, se chegar à Casa Branca, solicitará que o país seja catalogado como manipulador de divisas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos