Johnson diz que Rússia pode ser acusada de crimes de guerra na Síria

Londres, 25 set (EFE).- O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou neste domingo que as forças militares da Rússia podem ser acusadas de cometer crimes de guerra na Síria caso estejam atacando alvos civis de maneira deliberada.

Em uma entrevista à emissora "BBC", Johnson disse que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, está prolongando a guerra civil da Síria, que já dura cinco anos, ao prestar apoio militar ao regime do presidente do país, Bashar al Assad.

O ex-prefeito de Londres também sugeriu a abertura de uma investigação para esclarecer se os ataques aéreos realizados pela Rússia sobre a cidade de Aleppo foram destinados a alvos civis com conhecimento de causa.

"Um crime de guerra se configura quando se ataca um alvo civil com conhecimento de que é um alvo civil. O regime de Putin não está somente entregando armas a Assad. Em alguns casos, está empunhando a arma ele próprio", disse Johnson na entrevista à "BBC".

"Na realidade, os próprios russos estão envolvidos (no conflito). São culpados de prolongar esta guerra e de fazê-la mais espantosa", completou o chefe da diplomacia do Reino Unido.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos