México diz aos EUA que não aceitará imigrantes ilegais enquanto esperam asilo

Cidade do México, 24 fev (EFE).- O governo do México não aceitará que os Estados Unidos enviem ao país imigrantes ilegais de outras nacionalidades enquanto eles aguardam a tramitação de pedidos de asilo no território americano.

O secretário de Governo do México, Miguel Ángel Osorio, afirmou que o país não pode receber essas pessoas e que repassou claramente essa mensagem aos secretários de Estado, Rex Tillerson, e Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Kelly, durante a reunião realizada ontem na Cidade do México.

"Recebemos somente os que pedem refúgio no México, não podemos criar uma antessala para os que querem entrar nos EUA", disse Osorio em entrevista à "Radio Fórmula", revelando que os secretários americanos fizeram esse pedido na reunião de ontem.

"Não vamos recebê-los. Eles não podem deixá-los na fronteira porque teremos que rejeitá-los, não há possibilidade que sejam recebidos por parte do México", reforçou o secretário de Governo.

Osorio citou os 3.675 haitianos que estão nas cidades de Tijuana e Mexicali, no estado da Baixa Califórnia, no noroeste do país.

"Eles não querem um processo de refúgio conosco, mas sim com os EUA. Estão lá porque havia um pré-acordo que eles passariam para os EUA, mas hoje não há mais. Estamos vendo como enviá-los de volta ao seu país de origem", explicou.

Para poder ficar nos EUA, muitos imigrantes da América Central entram com pedidos de asilo, alegando que sofreram perseguição e que temem por suas vidas, por exemplo, devido à ação de gangues que recrutam jovens e exigem pagamento de impostos nas regiões controladas por elas.

Segundo o Departamento de Segurança Nacional, o plano é que, em vez de eles esperarem em um centro de detenção para imigrantes ilegais nos EUA, os estrangeiros aguardem o resultado do longo processo de pedido de asilo em território mexicano.

"Não significa que essas pessoas serão deportadas para o México, mas o Departamento de Segurança Nacional terá permissão para fazer que essa pessoa espere no México. Elas cruzaram o México. Portanto, tiveram alguma permissão para chegar até os EUA", explicou um funcionário do órgão americano, que pediu anonimato.

Nos últimos anos, cresceu de forma exponencial a chegada aos EUA de imigrantes ilegais da América Central, especialmente de El Salvador, Honduras e Guatemala, que fogem da violência ou da falta de oportunidades.

Apesar de o México conceder permitir que alguns imigrantes cruzem o país por razões humanitárias, foram deportadas 187.259 pessoas em 2016, a maioria da América Central, uma forma de pôr fim à imigração ilegal em direção aos EUA.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos