Turquia pede que embaixador holandês não volte ao país

Da EFE

Em Istambul

  • AP

    Manifestantes erguem bandeiras turcas em protesto em frente à embaixada holandesa, em Ancara, na Turquia

    Manifestantes erguem bandeiras turcas em protesto em frente à embaixada holandesa, em Ancara, na Turquia

A Turquia pediu à Holanda que o embaixador do país em Ancara, que está em férias, não retorne "por um tempo" às suas atividades, informou o Ministério das Relações Exteriores turco em comunicado.

A medida é uma resposta à decisão do governo da Holanda de não permitir que o chanceler turco Mevlüt Cavusoglu, viajasse a Roterdã para participar de um comício sobre o referendo convocado por Ancara com a comunidade turca residente no país.

"Em protesto contra essa decisão do governo holandês, falamos com o encarregado de negócios da embaixada holandesa em Ancara. Informamos que não desejamos que o embaixador holandês, atualmente de férias, retorne ao seu posto por um tempo", indicou a nota.

As autoridades holandesas também impediram que a ministra de Família e Assuntos Sociais da Turquia, Fatma Betül Sayan Kaya, chegasse ao consulado do país em Roterdã.

O comunicado turco lembra os "405 anos de relações ininterruptas de amizade e aliança entre os dois países" e atribuiu "inteiramente" à Holanda "a responsabilidade e vergonha" do atual incidente.

"Condenamos a atitude hostil e a mentalidade de preconceito", afirma o comunicado.

Além das tensões com a Holanda, a Turquia se envolveu na semana passada em um incidente similar com a Alemanha, que também cancelou discursos de ministros turcos em várias cidades do país. Assim como em Roterdã, eles queriam fazer campanha a favor do "sim" no referendo constitucional que pode garantir mais poderes executivos ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Vários membros do alto escalão do governo de Ancara estão há semanas tentando realizar comícios entre a população turca residente em outros países, como Suíça, Áustria, Holanda e Alemanha, mas, na maioria dos casos, os eventos foram cancelados pelos locais onde eles seriam realizados ou pelas autoridades locais.

Enquanto várias emissoras turcas transmitem ao vivo o desenvolvimento de protestos favoráveis e contrários às medidas tomadas pelo governo da Holanda em Roterdã, outros milhares de turcos estão na frente da embaixada holandesa em Ancara e ao consulado em Istambul gritando palavras de ordem a favor do referendo.

A polícia da Turquia adotou um forte esquema de segurança, colocando grandes para impedir o acesso às legações diplomáticas e fechando o tráfego na avenida onde está a embaixada, informou a emissora "CNNTÜRK".

Medidas similares foram tomadas na casa do encarregado de negócios da embaixada holandesa e da residência do cônsul em Istambul.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos