Maduro lidera manobras militares contra suposta convocação de golpe de Estado

Caracas, 24 fev (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, deu início neste sábado aos exercícios militares convocados para este fim de semana, para demonstrar que o seu país é "território de independência" e perante a suposta convocação dos Estados Unidos às Forças Armadas para um "golpe de Estado".

O chefe de Estado venezuelano percorreu os acampamentos das instalações militares do Forte Tiuna, em Caracas, para observar o armamento da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB). Nestes exercícios, Maduro disse que o secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, "convoca os militares" venezuelanos a "um golpe de Estado" e que perante isto a FANB "responde com os exercícios de Independência 2018 e gritando independência e pátria socialista".

Durante o evento, Maduro parabenizou os militares por seu "moral combativa" e anunciou que investirá mais "em defesa antiaérea".

"Temos convênio de cooperação com vários países, como China, Irã, Belarus, Turquia. Agora, vou à Índia avaliar a tecnologia de lá", acrescentou.

De acordo com o chefe do Comando Estratégico Operacional da FANB, Remigio Ceballos, as Forças Armadas analisam "como enfrentar as ameaças" baseadas "nos princípios de simultaneidade, diversificação, flexibilidade". Além disso, segundo ele, foi avaliado como contribuir com o governo para melhorar a economia do país, que se encontra em grave crise.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos