PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Governo português também fixa prazo para Maduro convocar eleições

26/01/2019 17h24

Lisboa, 26 jan (EFE).- O governo de Portugal se uniu neste sábado aos governos de Espanha, França, Alemanha e Reino Unido para dar um prazo de oito dias para Nicolás Maduro convocar novas eleições na Venezuela ou reconhecerá o líder parlamentar Juan Guaidó como presidente do país.

Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores de Portugal exigiu "a realização de eleições presidenciais livres, transparentes e críveis na Venezuela". A nota explicou que o governo apoia o posicionamento tomado pela União Europeia (UE) sobre a situação da Venezuela e ressaltou que Portugal ajudou a fixar esta posição.

Hoje, a representante para a Política Externa da UE, Federica Mogherini, anunciou que "à revelia de um anúncio (...) de novas eleições com as garantias necessárias nos próximos dias, a UE tomará outras medidas, inclusive sobre o tema do reconhecimento da liderança do país, com base no artigo 233 da Constituição venezuelana".

O governo português elogiou a UE ter tomado uma postura solidária para contribuir com uma solução pacífica e disse que também será solidário com o povo venezuelano e com a comunidade portuguesa e de descendente - cerca de 300 mil - que está na Venezuela, e por isso "continuará a acompanhar a situação com grande cuidado e atenção". EFE

Internacional