PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Agentes e opositores venezuelanos se confrontam na fronteira com o Brasil

23/02/2019 19h40

Pacaraima (Brasil), 23 fev (EFE).- As autoridades venezuelanas e um grupo de manifestantes declarados antichavistas entraram em confronto neste sábado na fronteira do Brasil com a Venezuela, fechada pelo governo de Nicolás Maduro, depois que duas caminhonetes com ajuda humanitária foram retiradas da região.

Cerca de 50 manifestantes começaram a lançar coquetéis molotov e pedras contra um depósito Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militarizada), o que provocou a intervenção dos agentes.

Essa unidade das forças venezuelanas fica muito próxima do único posto de combustíveis nessa região, que é da empresa venezuelana PDVSA e que permaneceu fechado durante todo o dia.

Os incidentes começaram quando um grupo reduzido de manifestantes, que se reuniram na área neutra da fronteira entre ambos os países para acompanhar o envio da ajuda humanitária, começaram a atacar as autoridades venezuelanas, que em um primeiro momento não reagiram.

No entanto, após alguns minutos, os soldados começaram a lançar bombas de gás lacrimogêneo e a avançar contra os manifestantes para que recuassem em direção à cidade brasileira de Pacaraima.

Em paralelo, a Polícia Militar de Roraima entrou em ação para tentar levar esses manifestantes para o interior do território brasileiro e acalmar os ânimos.

A fronteira entre o Brasil e a Venezuela permanece fechada desde a última quinta-feira, quando o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, ordenou seu fechamento para impedir a entrada da ajuda humanitária. EFE

Internacional