PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Protestos por mudança de nome da capital cazaque terminam com vários detidos

22/03/2019 12h27

Astana, 22 mar (EFE).- Várias pessoas foram detidas nesta sexta-feira por protestar contra a mudança de nome da capital do Cazaquistão, que passará de Astana para Nursultan em homenagem ao primeiro presidente do país, Nursultan Nazarbayev, que renunciou na terça-feira ao cargo após quase 30 anos no poder.

Os protestos e as detenções ocorreram na capital e em Almaty, a maior cidade do país, de acordo com imagens divulgadas nas redes sociais.

"Me detiveram. Necessito de um advogado", escreveu no Facebook a jornalista Svletana Glushkova, do meio de comunicação opositor "Azattyg".

Além da jornalista, várias pessoas foram detidas na praça próxima ao shopping "Shapagat", na capital cazaque.

Esse local, precisamente, tinha sido apontado por Mukhtar Abliazov, um banqueiro perseguido pela justiça que vive no exterior, como ponto de reunião para uma manifestação convocada pelas redes sociais para protestar contra a mudança de nome da capital.

A polícia também prendeu várias pessoas em Almaty, na intersecção das ruas Panfilov e Gogol, onde tinham se reunido para expressar o inconformismo com a mudança de nome da capital.

A proposta de mudar o nome da capital de Astana para Nursultan foi formulada na quarta-feira pelo novo presidente cazaque, Qasim-Yomart Tokayev, e anunciada em seu discurso de posse.

A iniciativa foi aprovada nesse mesmo dia pelo Parlamento em trâmite expresso, com o aval do Conselho Constitucional, que opinou que a mudança de nome da capital, que é uma emenda à Carta Magna de país, poderia ser realizada sem a necessidade da realização de um referendo.

A decisão gerou polêmica no mesmo dia de sua adoção, já que muitos cazaques consideraram que a mudança de nome da capital não poderia ocorrer sem uma consulta aos cidadãos.

Além disso, suscitou uma série de dúvidas sobre se será necessário mudar também a denominação de várias empresas, instituições, inclusive clubes esportivos que possuem o nome Astana.

O ministro de Informação e Desenvolvimento Social do Cazaquistão. Dauren Abayev, explicou que a mudança de nome da capital não afetará instituições e empresas.

"Conservaremos a marca "Astana", já mundialmente conhecida, e vamos promover uma nova marca com um grande potencial: 'Nursultan'", disse Abayev. EFE

Internacional