Topo

Deputado venezuelano acusado de rebelião foge para a Colômbia

24.jul.2017 - Richard Blanco dá um discurso para manifestantes da oposição durante um protesto contra a Assembleia Nacional Constituinte - Andres Martinez Casares/Reuters
24.jul.2017 - Richard Blanco dá um discurso para manifestantes da oposição durante um protesto contra a Assembleia Nacional Constituinte Imagem: Andres Martinez Casares/Reuters

Em Caracas

17/06/2019 11h19

O deputado opositor Richard Blanco, acusado pela Justiça venezuelana de estar envolvido na fracassada rebelião militar contra o governo de Nicolás Maduro do último dia 30 de abril, fugiu nesta hoje para a Colômbia após quase 40 dias refugiado na embaixada da Argentina em Caracas.

"Ninguém me silenciará. Por isso decidi atravessar a fronteira na Colômbia e seguirei mais adiante para pedir que nos ajudem. Sozinhos não podemos e meu compromisso é com a Venezuela", disse o legislador em sua conta do Twitter, na qual compartilhou uma fotografia na qual é visto atravessando uma passagem fronteiriça ilegal no estado de Táchira.

Blanco é um dos 14 deputados venezuelanos que o Ministério Público relaciona com a rebelião de abril, que o governo de Maduro controlou sem vítimas fatais.

Então, o chefe do parlamento, Juan Guaidó, e o líder opositor Leopoldo López se apresentaram nos arredores de uma base militar em Caracas junto a um grupo de soldados para desafiar a legitimidade de Maduro, que governa desde 2013.

Posteriormente ocorreram protestos e confrontos entre opositores e as forças de segurança do Estado, que perduraram até 1º de maio.

Segundo diversos registros, cinco pessoas morreram, quase 100 ficaram feridas e foram efetuadas mais de 200 detenções durante as manifestações.

No início de maio, o Supremo Tribunal, que segundo a oposição está subordinado a Maduro, pediu à Assembleia Nacional Constituinte (ANC), um órgão integrado apenas por aliados do chavismo e não reconhecido por boa parte da comunidade internacional, que retirasse os privilégios de 14 deputados acusados por rebelião.

Diante disto, Blanco se refugiou na embaixada da Argentina em Caracas em 9 de maio, na qual ingressou na qualidade de "hóspede".

Ainda não se sabe como o legislador evitou a polícia para finalmente chegar à Colômbia.

Mais Internacional