Topo

Quase 95 mil imigrantes foram detidos na fronteira dos EUA em junho

25.nov.18 - Grupo de imigrantes centro-americanos escalam o muro da fronteira entre México e EUA - Pedro Pardo/AFP
25.nov.18 - Grupo de imigrantes centro-americanos escalam o muro da fronteira entre México e EUA Imagem: Pedro Pardo/AFP

10/07/2019 17h40

Os Estados Unidos prenderam em junho 94.897 imigrantes na fronteira do país com o México, a maior parte deles oriundos da América Central, informou nesta quarta-feira a Agência de Proteção Alfandegária e Fronteiras (CBP).

Os dados representam uma queda na comparação com maio, quando foram detidas 132.887 pessoas na fronteira. Do total de presos em junho, 7.378 eram menores de idade não acompanhados, número também menor do que no mês anterior, que foi de 11.507.

"Apesar de vermos um certo alívio nos números, gostaríamos de lembrar que existe uma crise humanitária na fronteira e que estamos lidando com ela", afirmou um funcionário do alto escalão da CBP, que preferiu manter o anonimato.

Segundo a fonte, o órgão tem entre 40% e 60% de seus funcionários trabalhando nesta "missão humanitária" na fronteira com o México, especialmente nos setores de El Paso e do Vale do Rio Grande, ambos no estado do Texas.

O forte calor desta época do ano na área da fronteira foi um dos fatores que, segundo a CBP, provocou a queda no número de imigrantes presos pelos agentes americanos.

Outro elemento que contribuiu foi o trabalho do governo do México, que decidiu ampliar a fiscalização na fronteira com a Guatemala, país de onde sai um grande número de imigrantes rumo aos Estados Unidos, após um acordo com o governo de Donald Trump.

"Estamos muito otimistas e esperamos que isso se sustente enquanto o México seguir enviando recursos para sua fronteira sul", afirmou o funcionário do governo americano.

O acordo entre México e EUA veio depois de Trump ameaçar taxar todas as exportações de produtos mexicanos ao país.

Para demovê-lo da ideia, o governo de Andrés Manuel López Obrador ofereceu em troca ampliar a segurança na fronteira com a Guatemala e manter no território mexicano os imigrantes que pediram asilo aos EUA, mas que ainda aguardam a análise da solicitação.

Segundo o funcionário da CBP, 70% dos imigrantes que tentaram cruzar a fronteira eram de países da América Central. O México corresponde a 17% do total.

Além disso, o número de crianças que estavam sob custódia da CBP caiu de 2.500 para 200 de maio para junho. De acordo com o órgão, isso ocorreu porque o Departamento de Saúde e Serviços Humanos recebeu dinheiro do Congresso no último mês, podendo acelerar o processo de acolhimento dos menores de idade em suas instalações.

"São bons números, mas ainda estamos muito preocupados com a crise na fronteira", reiterou o representante do CBP.

Internacional