PUBLICIDADE
Topo

Brasil e Paraguai anulam acordo de Itaipu que ameaça Mario Abdo de impeachment

12.mar.2019 - O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, se reúne com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro - Reprodução/Twitter/@maritoabdo
12.mar.2019 - O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, se reúne com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro Imagem: Reprodução/Twitter/@maritoabdo

Em Assunção

01/08/2019 12h16

Os governos de Brasil e Paraguai deixaram sem efeito hoje a ata bilateral sobre compra de energia da represa de Itaipu assinada por ambos países, que provocou uma crise política que ameaça a permanência no cargo do presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, do Partido Colorado.

O Ministério de Relações Exteriores do Paraguai informou nesta hoje no Twitter que a anulação da ata foi assinada em Assunção pelo novo chanceler paraguaio, Antonio Rivas, e pelo embaixador brasileiro no Paraguai, Carlos Simas Magalhães.

O novo documento destaca que as Altas Partes contratantes no controle da represa de Itaipu decidiram delegar às instâncias técnicas a definição do cronograma de potência a ser contratado pela estatal paraguaia Ande e pela Eletrobrás pelo período 2019-2022.

Além disso, as partes se comprometeram a encontrar uma "solução para o problema em curto prazo".

O presidente Jair Bolsonaro já havia declarado ontem que estava disposto a ajudar Abdo Benítez na crise.

O acordo, assinado em maio, mas divulgado apenas na semana passada, foi qualificado como "entreguista" pela oposição paraguaia, que deve promover hoje a abertura de um processo de impeachment contra Abdo Benítez e o vice-presidente Hugo Velázquez.

A Câmara dos Deputados paraguaia será a responsável por tramitar esse julgamento político que, se for apresentado pela oposição e depois aprovado, passaria ao Senado, que exerceria o papel de tribunal.

No entanto, ainda não está claro que a oposição tenha a maioria de dois terços para a aprovação do processo na Câmara.

Enquanto se aguarda o procedimento, ministros e legisladores governistas aguardam na esplanada do Palácio de Governo o anunciado pronunciamento de Abdo Benítez à nação.

A crise política que abala o governo explodiu na semana passada após o anúncio da assinatura do primeiro acordo, já que afetará os níveis de faturamento da estatal elétrica do Paraguai, segundo a oposição.

A oposição também denunciou seu caráter secreto, já que o acordo havia sido assinado no último dia 24 de maio.

A crise se agravou nas últimas horas após a divulgação das informações de que um suposto assessor de Velázquez teria influenciado para que as negociações desse acordo excluíssem um ponto que permitiria à estatal elétrica paraguaia vender energia a empresas brasileiras a partir da hidrelétrica de Itaipu.

Acordo sobre Itaipu provoca crise no Paraguai

Band News

Internacional