PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Médico chinês afirma que surto de coronavírus em Pequim está sob controle

Pessoas com máscara de proteção em rua de Pequim, na China - THOMAS PETER
Pessoas com máscara de proteção em rua de Pequim, na China Imagem: THOMAS PETER

18/06/2020 14h55

O chefe de epidemiologia do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China, Wu Zunyou, disse nesta quinta-feira que o surto de covid-19 detectado há uma semana em Pequim "está sob controle", graças às medidas tomadas para contê-lo.

"Nos próximos dias, continuaremos vendo novos casos confirmados, mas a transmissão do vírus está sob controle, de modo que a curva será achatada gradualmente. O surto está sob controle", disse Wu, em entrevista coletiva em Pequim.

Segundo o epidemiologista, esses tipos de surtos, como o que até agora deixou 158 casos na capital, eram "esperados" e "poderiam ter aparecido em qualquer lugar", mas, felizmente, "Pequim agiu rapidamente para minimizar o máximo possível".

"Isso não significa que a partir de amanhã os casos diminuirão drasticamente, a curva diminuirá gradualmente. Haverá novas infecções, mas esporadicamente", disse Wu, acrescentando que "em 13 de junho o pico de transmissões foi atingido" na cidade.

O especialista opinou que a origem desse surto está relacionada ao armazenamento de moluscos em mercados de baixa temperatura e umidade, como teria acontecido no mercado de Xinfadi, onde o surto teve origem.

"Ainda são necessárias mais pesquisas, mas acho que essas condições fazem com que o vírus se esconda e sobreviva. No ano passado, quando os casos começaram em Wuhan, especialistas suspeitavam que os animais selvagens fossem a causa. Esse novo surto em Pequim nos fez olhar para trás: oferece uma nova direção para resolver esse mistério", afirmou.

Wu acrescentou que o número de vendedores de frutos do mar excede o de outras barracas no mercado de Xinfadi e que, de acordo com estudos epidemiológicos, esses vendedores desenvolveram sintomas da covid-19 "muito cedo".

A capital chinesa, na noite da última terça-feira, elevou o nível de resposta de emergência da covid-19 na tentativa de conter a propagação do surto, e ainda continua testando seus moradores, incluindo funcionários de todos os restaurantes, universidades e mercados da cidade.

Além disso, pessoas que testaram positivo para covid-19, contatos próximos, casos assintomáticos, pessoas que apresentam sintomas, pessoas que tiveram contato com o mercado e moradores em áreas de alto e médio risco podem não deixar a cidade.

Até agora, apenas o bairro de Huaxiang, onde o mercado está localizado, é considerado uma área de alto risco - a única atualmente em toda a China - enquanto 32 áreas de médio risco foram declaradas em toda a cidade.

Coronavírus