PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Putin considera 'infundadas' acusações contra Rússia no caso Navalny

Vladimir Putin conversou com Macron, presidente da França, hoje sobre a investigação - ALEXEY NIKOLSKY/AFP
Vladimir Putin conversou com Macron, presidente da França, hoje sobre a investigação Imagem: ALEXEY NIKOLSKY/AFP

Da EFE, em Moscou

14/09/2020 14h37

Em conversa por telefone com o presidente da França, Emmanuel Macron, o mandatário russo, Vladimir Putin, classificou hoje como "infundadas" as acusações contra a Rússia no caso do opositor Alexey Navalny, que se recupera de um envenenamento em um hospital em Berlim.

"A situação em torno do 'caso Alexey Navalny' foi longamente discutida. Vladimir Putin ressaltou o caráter inapropriado das acusações infundadas à parte russa", disse o Kremlin em comunicado, especificando que a conversa foi realizada por iniciativa de Macron.

De acordo com Putin, "para esclarecer as circunstâncias do que realmente aconteceu, é necessário que os especialistas alemães entreguem à Rússia as amostras biológicas, o relatório médico com os resultados dos exames de Navalny e o início de um trabalho conjunto com os médicos russos".

"Foi acordado incentivar a definição dos parâmetros de possível interação com os parceiros europeus sobre esta questão", acrescentou o governo russo.

Segundo o governo francês, Macron pediu para Putin para esclarecer sem demora "as circunstâncias e responsabilidades" da "tentativa de assassinato" contra Navalny.

Macron disse considerar "imperativo" esclarecer o ocorrido e ressaltou a Putin, em conversa por telefone, que concorda com as conclusões dos parceiros europeus, que determinam que a Navalny foi envenenado pelo agente tóxico do tipo novichok.

O Palácio do Eliseu indicou em comunicado de imprensa que o presidente francês expressou "profunda preocupação com o ato criminoso perpetrado" contra Navalny e sublinhou que "é necessário um esclarecimento por parte da Rússia no âmbito de uma investigação crível e transparente".

O governo alemão informou nesta segunda-feira que laboratórios de França e Suécia confirmaram, de maneira independente, as conclusões de um laboratório militar alemão de que Navalny foi envenenado com uma substância do grupo novichok.

Navalny desmaiou durante um voo da Sibéria para Moscou no dia 20 de agosto, forçando um pouso de emergência na cidade de Omsk para se tratado em um hospital local. A pedido da família e de colaboradores, foi transferido dois dias depois para Berlim, onde está agora no Hospital Universitário La Charité.

Internacional