PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Cuba ultrapassa marca de 112 mil casos de covid-19

Cuba acumula até o momento 112.714 casos e 701 mortes por covid-19, após a confirmação de 1.060 infecções e sete óbitos nas últimas 24 horas. - Yamil Lage - 26.nov.2016/AFP
Cuba acumula até o momento 112.714 casos e 701 mortes por covid-19, após a confirmação de 1.060 infecções e sete óbitos nas últimas 24 horas. Imagem: Yamil Lage - 26.nov.2016/AFP

06/05/2021 20h06Atualizada em 06/05/2021 20h49

Cuba acumula até o momento 112.714 casos e 701 mortes por covid-19, após a confirmação de 1.060 infecções e sete óbitos nas últimas 24 horas, informaram nesta quinta-feira as autoridades sanitárias do país.

O Ministério da Saúde Pública (Minsap) afirmou em seu relatório diário sobre a situação epidemiológica que foram realizados 22.818 exames para detecção de novos positivos para o coronavírus.

Do total dos casos registrados hoje, apenas 35 são considerados "estrangeiros" e o restante corresponde à transmissão local da doença, segundo o Minsap.

O número de internados em hospitais cubanos continua alto, com 21.253 pacientes, dos quais 5.548 são casos ativos e 3.323 suspeitos. Destes, 48 são considerados críticos e 72 são graves.

Na capital Havana, há toque de recolher noturno e escolas, restaurantes, bares e praias permanecem fechados, mas a escassez devido à crise econômica obriga as pessoas a saírem para comprar produtos básicos.

Isso dificulta a contenção do coronavírus em Havana, cidade de 2,2 milhões de habitantes.

Cuba está desenvolvendo cinco possíveis vacinas contra a covid-19, das quais uma - Abdala - já concluiu a aplicação das doses na última fase de seus ensaios clínicos, que começou em março.

O outro projeto avançado é Soberana 02, que ainda está em fase final de estudos para avaliação de sua eficácia.

Cuba não faz parte do mecanismo Covax, criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que tem como objetivo promover o acesso equitativo à imunização em países de baixa e média renda, nem as comprou no mercado internacional.

Coronavírus