PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

Maduro diz estar pronto para ir ao México negociar com oposição venezuelana

8.dez.2020 - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, durante entrevista coletiva à imprensa - Manaure Quintero/Reuters
8.dez.2020 - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, durante entrevista coletiva à imprensa Imagem: Manaure Quintero/Reuters

Da EFE, em Caracas

23/07/2021 03h08Atualizada em 23/07/2021 07h30

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou ontem que está pronto para negociar com a oposição no México, embora ainda não esteja confirmado que o país da América do Norte sediará as conversas.

"Estamos prontos para ir ao México. O doutor (presidente do parlamento venezuelano) Jorge Rodríguez e o doutor (governador do estado de Miranda) Héctor Rodríguez já comunicaram a todas as delegações da oposição e do governo norueguês que estamos prontos para ir ao México", declarou o presidente venezuelano, mencionando também a Noruega, que se dispôs a mediar as negociações.

Apesar do discurso de Maduro, ainda não está confirmado que a rodada de negociações acontecerá em território mexicano. Também não foi dita uma data para que as partes se sentem para conversar.

"Temos que nos sentar com uma agenda realista, objetiva, verdadeiramente venezuelana, para lidar com todos os assuntos que precisam ser tratados, para chegar acordos parciais de paz e soberania e para a Venezuela, além de derrubar as sanções internacionais que pesam sobre a Venezuela", destacou Maduro.

"Estamos prontos. Além disso, agora que todos os líderes da oposição fizeram bons gestos e estão anunciando suas candidaturas, eles me dão muita alegria", complementou.

Em maio, o opositor Juan Guaidó anunciou sua disposição de conversar com o governo de Maduro para chegar ao que definiu como "acordo de salvação nacional".

Guaidó afirmou recentemente que busca eleições gerais "livres e justas". Maduro respondeu à proposta dizendo que está pronto para se reunir com toda a oposição, mas exige que as sanções internacionais sejam suspensas.

Entretanto, o opositor propõe a suspensão na condição de que o governo ceda a suas posições, entre elas montar imediatamente um calendário para eleições "democráticas e transparentes".

Não está claro se o governo negociará separadamente com os diversos setores da oposição venezuelana ou se o fará sob a liderança de Guaidó. O que Maduro confirmou foi a escolha de Jorge Rodríguez e Héctor Rodríguez como "porta-vozes da revolução" para as conversas.

Ambos já chefiaram a delegação pró-governamental nas negociações fracassadas que em 2019 tentaram abrir um processo de diálogo com opositores então sob a liderança unitária de Guaidó, que era presidente do Parlamento.

Jorge Rodríguez também dirige uma comissão parlamentar que procura incluir numerosos setores políticos, empresariais, religiosos e sociais na Venezuela, uma tarefa que ele iniciou em janeiro, quando assumiu o cargo.

Internacional