China restringe grandes vendas de ações em meio a fortes perdas no mercado

XANGAI/HONG KONG (Reuters) - O órgão regulador do mercado de capitais da China divulgou regras nesta quinta-feira para restringir as vendas de ações pelos principais acionistas de empresas listadas, buscando conter a queda do mercado, mas a medida ameaça enfraquecer mais a confiança do investidor.

As restrições foram anunciadas quando as ações caíam 7 por cento após meia hora de negociações, provocando o "circuit breaker". As vendas generalizadas deveram-se em parte a temores de que uma proibição regulatória às vendas de ações adotadas durante as perdas vistas no ano passado vencesse na sexta-feira.

Os principais acionistas não podem vender mais do que 1 por cento do capital acionário de uma empresa listada, através do sistema centralizado de ofertas das bolsas a cada três meses, disse o órgão regulador em seu site.

Além disso, os principais acionistas têm que informar seus planos 15 dias úteis antes das vendas, de acordo com as regras, efetivas a partir de 9 de janeiro.

O órgão regulador disse que as regras têm o objetivo de evitar o efeito de reduções acionárias "intensivas e maciças" por executivos de alto escalão e grandes acionistas de empresas listadas --definidos como investidores com mais de 5 por cento de participação.

(Reportagem de Samuel Shen e Lisa Jucca)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos