Indonésia identifica militantes e prende outros por ataque

Por Kanupriya Kapoor e Angie Teo

JACARTA (Reuters) - A polícia indonésia nomeou neste sábado os cinco homens suspeitos de terem lançado o ataque com armas e bombas desta semana em Jacarta, reivindicado pelo Estado Islâmico, e disse ter prendido 12 pessoas ligadas à conspiração que planejava atacar outras cidades.

À medida que investigadores juntam pistas do primeiro ataque do grupo radical na Indonésia, a vizinha Malásia afirmou ter prendido um homem em Kuala Lumpur que confessou ter planejado um ataque suicida no país.

"Nós... temos realizado atos de força. Temos feito buscas, prisões e obtido evidências ligadas aos bombardeios terroristas em Sarinah", disse o porta-voz da polícia de Jacarta Mohammad Iqbal em entrevista à imprensa.

"Não diremos quantas pessoas ou que tipos de evidências temos pois afetaria a nossa estratégia. Sejam pacientes, quando o caso estiver encerrado e as coisas estiverem claras vamos divulgá-las."

Sete pessoas, incluindo os militantes, foram mortos no ataque de quinta-feira próximo à loja de departamento Sarinah no distrito comercial da capital indonésia. Cerca de 30 pessoas ficaram feridas.

A polícia mostrou fotos dos mortos e feridos na coletiva de imprensa, incluindo um homem que iniciou o cerca ao explodir a si mesmo em um Starbucks.

Outro homem, que abriu fogo com arma do lado de fora do café, foi nomeado como Afif. Um porta-voz da Agência Nacional Contraterrorismo afirmou que Afif ficou sete anos na prisão, onde se recusou a cooperar com o programa de de-radicalização.

(Reportagem adicional de Aubrey Belford e Augustinus Beo da Costa)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos