Tusk adverte que União Europeia tem 2 meses para enfrentar crise imigratória

Por Gabriela Baczynska

ESTRASBURGO, França (Reuters) - O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, advertiu duramente nesta terça-feira à União Europeia de que o bloco não teria "mais que dois meses" para enfrentar a crise imigratória englobando as 28 nações do bloco, caso contrário enfrentará um colapso no espaço Schengen de livre circulação.

Tusk falou ao Parlamento Europeu em Estrasburgo, em meio à crescente frustração em Bruxelas e na Alemanha --maior economia do bloco e o principal destino dos imigrantes que chegam à Europa-- com a aparente incapacidade da UE de agir em conjunto em sua pior crise imigratória desde a Segunda Guerra Mundial.

“Não temos mais do que dois meses para colocar as coisas sob controle”, disse Tusk, que preside a cúpula de líderes da UE.

"O Conselho Europeu de março será o último momento para ver se nossa estratégia funciona. Em caso negativo, enfrentaremos consequências graves, como o colapso de Schengen.”

A cúpula do Conselho Europeu, que ocorrerá nos dias 17 e 18 de março, irá focar principalmente na crise imigratória. O sistema Schengen já foi suspenso em alguns países, como Dinamarca, Alemanha e Suécia, que introduziram controles em suas fronteiras para barrar o fluxo de chegada de imigrantes e refugiados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos