Governo alemão chega a acordo para regras de asilo político mais duras

Joseph Nasr

Em Berlim

O partido político conservador ao qual pertence a chanceler alemã, Angela Merkel, e o parceiro de coalizão SPD, o mais à esquerda partido social-democrata, concordaram nesta quinta-feira em endurecer as regras de asilo político, chegando a um compromisso sobre como conter o fluxo de imigrantes que passou de 1 milhão de pessoas no ano passado.

As novas medidas incluem a proibição de dois anos para a reunião familiar para aqueles que recebem proteção limitada de refugiado e a aceleração das deportações dos que são recusados, disse o ministro da Economia, Sigmar Gabriel, ao anunciar o acordo.

A disputa por conta de regras de imigração mais duras tem criado tensões na coalizão de governo, que inclui o CDU, os cristãos-democratas de Merkel, a União Social Cristã (CSU), da Bavária, e o SPD de Gabriel.

Todos os três partidos estão ansiosos para mostrar aos eleitores, antes das eleições locais em três Estados em março e do pleito geral no ano que vem, que, apesar das diferenças profundas, o governo está controlando a crise de refugiados.

"O clima está bom", afirmou Gabriel à imprensa, sinalizando unidade entre os três partidos depois de semanas de tensões por causa da ameaça de Horst Seehofer, líder do CSU, de processar o governo de Merkel se a sua exigência de conter o fluxo de imigrantes não fosse atendida.

As novas regras, que têm sido preparadas desde novembro e contam com um programa para integrar refugiados, também preveem acelerar o processo para os imigrantes dos chamados países seguros e reduzir o apoio financeiro para os que buscam asilo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos