Agência dos EUA amplia recomendações sobre o Zika para gestantes

Por Natalie Grover

(Reuters) - O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) revisou nesta sexta-feira as suas orientações para gestantes e incluiu a recomendação de que mesmo aquelas sem os sintomas do Zika vírus devem passar por teste depois de retornarem de áreas afetadas.

As orientações atualizadas recomendam que as gestantes sejam examinadas duas a 12 semanas depois de retornarem de lugares onde o vírus infectou pessoas. Antes, a agência sugeriu os testes para as mulheres que apresentavam os sintomas.

Obstetras têm dito que, uma vez que 80 por cento dos infectados pelo vírus não apresentam sintomas, muitas gestantes não teriam como saber com tempo suficiente para tomar uma decisão informada a respeito da criança ainda não nascida.

Embora a transmissão sexual do Zika seja possível, a picada do mosquito continua como a principal forma de contrair o vírus, disse o CDC. A agência recomendou que as gestantes e os seus parceiros discutam com o médico qualquer exposição em potencial do homem ao Zika ou algum caso de uma doença com as mesmas características.

Homens com parceiras grávidas que moram ou viajaram a uma área de transmissão ativa do Zika devem usar de forma consistente e correta o preservativo ou se abster das relações sexuais durante a gravidez, afirmou o CDC.

“A ciência não é clara sobre por quanto tempo o risco deve ser evitado”, declarou o CDC. “Pesquisas estão em andamento para responder a essa questão o mais rápido possível.”

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos