Venezuela adota racionamento de energia elétrica em centros comerciais

Deisy Buitrago e Liamar Ramos

Em Caracas

  • AFP/Divulgação

A Venezuela ordenou que centros comerciais gerem sua própria eletricidade durante quatro horas por dia a partir desta quarta-feira (10), como parte de um plano de racionamento para enfrentar os efeitos do fenômeno climático El Niño sobre o país, que vive uma severa crise econômica.

A medida do governo venezuelano aponta que os estabelecimentos deverão produzir a própria energia elétrica entre as 13h e 15h, e entre as 19h e 21h.

O ministro de energia elétrica, Luis Motta Domínguez, disse que a medida será aplicada por quatro meses e será válida para estabelecimentos que excedam 100 KVA em potência.

Ele afirmou que o fornecimento aos centros comerciais será realizado pelo sistema elétrico do país durante o resto do dia.

Para os empresários do setor, as plantas geradoras de eletricidade de alguns centros comerciais "não foram desenhadas para suprir toda a capacidade" de energia.

Ao meio-dia desta quarta-feira, algumas lojas de centros comerciais da capital permaneciam fechadas, mas praças de alimentação e cinemas funcionavam normalmente, disseram testemunhas à Reuters.

Os cortes de luz e racionamentos de água são comuns no país, e o governo tem culpado a seca que afetou os reservatórios.

A Venezuela atravessa um difícil quadro econômico, que inclui uma das taxas de inflação mais altas do mundo e uma escassez de bens básicos.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos