China envia mísseis para ilha sob disputa, dizem Taiwan e EUA

Em Taipé e Washington

  • CSIS Asia Maritime Transparency Initiative/Digital Globe/via Reuters

A China instalou um sistema avançado de mísseis terra-ar em uma das ilhas que controla no Mar do Sul da China que são disputadas por outros países, disseram autoridades de Taiwan e dos Estados Unidos, ampliando as tensões na região, apesar de o presidente dos EUA, Barack Obama, ter feito um apelo por moderação.

O porta-voz do Ministério da Defesa de Taiwan, general David Lo, afirmou à Reuters nesta quarta-feira (17) que as baterias de mísseis foram colocadas em Woody Island. A ilha é parte do arquipélago de Paracelso, sob domínio chinês há mais de 40 anos, mas também reclamado por Taiwan e Vietnã.

Uma autoridade de Defesa dos EUA também confirmou a "aparente mobilização" dos mísseis, relatada primeiramente pela rede de televisão Fox News.

O Ministério das Relações Exteriores da China declarou que os relatos de "certas mídias ocidentais" deveriam se concentrar mais na construção chinesa de faróis para melhorar a segurança do tráfego de navios na área.

"Quanto às limitadas e necessárias instalações de autodefesa que a China construiu nas ilhas e recifes nos quais temos pessoas trabalhando, isso é consistente com o direito de autoproteção do qual a China usufrui conforme a lei internacional, por isso não deveriam ser questionadas", disse Wang Yi a repórteres em Pequim.

Já o Ministério da Defesa chinês informou à Reuters em um comunicado que as instalações de defesa em "ilhas e recifes relevantes" estão nestes locais há anos, acrescentando que os relatos mais recentes sobre o deslocamento de mísseis não são nada mais que "falatório".

Pequim reclama a posse da maior parte do Mar do Sul da China, pelo qual mais de 5 trilhões de dólares em comércio global passam todos os anos, e vem construindo pistas de pouso e decolagem, entre outras modalidades de infraestrutura, em ilhas artificiais para fortalecer sua postura.

Os EUA disseram que continuarão realizando "patrulhamento para a liberdade de navegação" com embarcações e aeronaves para garantir a passagem desimpedida pela região, onde Vietnã, Malásia, Brunei, Filipinas e Taiwan também afirmam ter direito a terras.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos