Papa diz que Trump "não é cristão"; Trump chama comentário de "vergonhoso"

(Reuters) - O papa Francisco disse nesta quinta-feira que o pré-candidato republicano à Presidência dos EUA Donald Trump "não é cristão" por causa de suas opiniões sobre a imigração, e o empresário norte-americano classificou o comentário como "vergonhoso" por questionar a sua fé.

Favorito nas pesquisas, Trump tem estado no centro de controvérsias, incluindo a intenção de construir um muro entre Estados Unidos e México, para impedir a entrada de imigrantes ilegais.

O líder religioso afirmou, entretanto, que não quer aconselhar os católicos norte-americanos a votarem ou não em Trump.

Em uma conversa descontraída com os repórteres no voo para Roma após visita ao México, Francisco foi indagado sobre Trump e alguns de seus comentários, como a promessa de erguer um muro entre EUA e México caso se torne presidente.

"Uma pessoa que só pensa em construir muros, onde quer que estejam, e não em construir pontes, não é cristã", disse o pontífice em resposta a uma pergunta específica sobre as opiniões de Trump. "Isto não está no evangelho".

Indagado se os católicos norte-americanos deveriam votar em alguém com as visões de Trump, Francisco respondeu:

"Não vou me envolver nisso. Só digo que este homem não é cristão se disse coisas assim. Precisamos ver se ele disse as coisas dessa maneira, e nisso dou o benefício da dúvida".

Ao responder aos comentários do papa Francisco, Trump disse que o papa desejaria que ele fosse presidente se o Estado Islâmico atacasse o Vaticano.

"Se e quando o Vaticano for atacado pelo Isis, o que todo mundo sabe que é um troféu desejado pelo Isis, posso prometer a vocês que o papa terá apenas desejado e rezado para que Donald Trump fosse presidente", disse Trump em discurso na Carolina do Sul, usando uma das siglas pelas quais o grupo militante é conhecido.

"Para um líder religioso questionar a fé de uma pessoa é vergonhoso. Tenho orgulho de ser cristão e como presidente eu não vou permitir que o Cristianismo seja consistentemente atacado e enfraquecido", declarou Trump em um comunicado respondendo ao papa.

Em seu último dia no México, Francisco rezou uma missa na fronteira com os EUA, onde protestou contra as políticas de imigração que obrigam muitos a mergulhar na ilegalidade e cair nas mãos de cartéis e de traficantes de pessoas.

Trump também afirmou que irá deportar milhões de imigrantes ilegais se vencer a eleição de novembro. Na semana passada, ele disse à rede de televisão Fox Business que o papa Francisco não entende as questões relacionadas à fronteira mexicana.

O bilionário tem uma vantagem de mais de 20 pontos percentuais diante do senador Ted Cruz na corrida presidencial republicana, e sua campanha parece crescer com as infinitas polêmicas que ele vem criando.

(Por Phillip Pullela, a bordo do avião papa, com reportagem de Mohammad Zargham em Washington)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos