Hungria anuncia referendo sobre plano da UE de cotas para imigrantes

BUDAPESTE (Reuters) - A Hungria vai realizar um referendo sobre os planos da União Europeia (UE) para criar um sistema obrigatório de cotas para imigrantes, uma iniciativa que o governo húngaro tem rejeitado, disse o primeiro-ministro Viktor Orban nesta quarta-feira.

Orban tem adotado uma retórica dura contrária à imigração desde que a crise se intensificou no ano passado, e ele ganhou notoriedade ao erguer uma cerca ao longo da fronteira ao sul da Hungria para impedir a entrada dos imigrantes, uma política agora adotada por outros países dos Bálcãs.

Ele afirmou que o plebiscito, o primeiro do tipo na Europa, seria um importante teste para a democracia europeia.

A UE não quis se pronunciar oficialmente sobre o tema, dizendo que buscava saber mais sobre a proposta de Orban.

Orban, que não disse quando a votação se daria, tem dito que as cotas redesenhariam o mapa étnico, cultural e religioso da Hungria e da Europa. De acordo com o plano, países da UE seriam obrigados a aceitar um determinado número de imigrantes.

“Ninguém perguntou ao povo europeu até agora se eles dão apoio, aceitam ou rejeitam as cotas mandatórias de imigrantes”, afirmou ele à imprensa.

(Por Marton Dunai e Krisztina Than)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos