Frente Nusra rejeita trégua na Síria e pede ataques mais fortes

BEIRUTE (Reuters) - A Frente Nusra, ligada à Al Qaeda, rejeitou nesta sexta-feira a cessação de hostilidades que está prevista para ter início à meia-noite na Síria, e instou insurgentes a intensificarem os ataques contra o presidente Bashar al-Assad e seus aliados.

O líder do grupo, Abu Mohamad al-Golani, disse em uma mensagem de áudio veiculada pela Orient News TV que se a guerra na Síria não for resolvida, suas consequências vão se espalhar para muçulmanos sunitas em outras partes da região

"Soldados de Sham (Síria), Deus os honrou com uma grande jihad em terra abençoada... portanto reforcem sua determinação e intensifiquem seus ataques, e não deixem os aviões deles e grandes números (de tropas) assustá-los", disse.

A mensagem foi veiculada pouco antes da entrada em vigor de um acordo de cessação de hostilidades, segundo um plano dos Estados Unidos e da Rússia, mas que excluiu os combatentes da Frente Nusra e do Estado Islâmico.

Golani afirmou que o plano de trégua era uma trama que sinalizava o início de um processo político que iria manter o governo Assad no poder.

(Reportagem de John Davison, Laila Bassam e Tom Perry)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos