Suíça rejeita proposta de deportação de estrangeiros infratores

ZURIQUE (Reuters) - Eleitores suíços rejeitaram uma proposta de setores da direita do país que previa a deportação de infratores da lei estrangeiros em um referendo realizado neste domingo, em mais uma derrota para o partido dominante na Suíça, o Partido Popular Suíço (SVP), tradicionalmente contra a imigração. 

A ideia de deportar qualquer morador estrangeiro que fosse culpado por alguma infração, desde assassinato até multa por excesso de velocidade, foi proposta pelo SVP, maior partido político do país e detentor de cerca de um terço dos assentos da câmara baixa do parlamento da Suíça.

Mas a proposta foi duramente atacada por ativistas e líderes empresariais que disseram que isso violaria os direitos humanos e complicaria as relações da Suíça com seu maior parceiro comercial, a União Europeia, já irritada desde um referendo em 2014 que previa cotas para trabalhadores da UE.

O resultado final mostrou que 58,9 por cento dos eleitores foram contra as deportações automáticas. O índice de comparecimento às urnas foi de mais de 62 por cento, o maior para um referendo na Suíça desde 1992, afirmou Claude Longchamp do instituto de pesquisa eleitoral gfs.bern. 

(por Joshua Franklin)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos