Enviado da ONU à Líbia diz que foi impedido de voar para Trípoli

TRÍPOLI (Reuters) - O enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) à Líbia afirmou nesta quarta-feira que foi forçado a cancelar um voo para Trípoli, porque não recebeu autorização para aterrissar do governo autodeclarado na região.

Martin Kobler afirmou que tinha a intenção de visitar a capital líbia para “abrir o caminho” para que o governo de unidade apoiado pela ONU fosse para lá de Túnis. Na semana passada, Fayez Seraj, primeiro-ministro do governo de unidade, disse que tal transferência era iminente.

A Líbia tem dois conjuntos de parlamentos e governos rivais, um em Trípoli e um no leste.

Um governo de unidade foi formado seguindo um plano para terminar com o conflito no país, mas ele têm enfrentado oposição dura de radicais dos dois lados.

O governo de unidade já defendeu neste mês uma transferência imediata de poder, mas o primeiro-ministro em Trípoli, Khalifa Ghwell, alertou para que não houvesse o movimento, e o governo do leste disse que deveria primeiro se assegurar um voto de aprovação, há muito adiado, no parlamento, reconhecido internacionalmente, do leste.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos