Juiz dos EUA questiona acordo Lyft sobre benefícios a motoristas

SAN FRANCISCO (Reuters) - Um juiz norte-americano questionou nesta quinta-feira se a proposta de ação coletiva entre o Lyft e seus motoristas na Califórnia é justa e levantou preocupações de que o pagamento de 12,25 milhões de dólares oferecido pelo serviço de transportes urbanos possa ser muito baixo.

O processo de 2013 movido contra o Lyft por motoristas da Califórnia sustentando que deveriam ser considerados como funcionários, e portanto, teriam direito a despesas, incluindo combustível e manutenção. Atualmente, os próprios motoristas, que são prestadores de serviços contratados em vez de funcionários, arcam com estes custos.

Em uma audiência nesta quinta-feira, o juiz distrital Vince Chhabria em San Francisco disse temia que o acordo proposto não reflita o crescimento expressivo da empresa na Califórnia nos últimos meses.

Chhabria, que ainda não proferiu uma sentença, deve decidir se o acordo é justo para os motoristas. Ele provavelmente publicará uma decisão preliminar em algum momento nas próximas semanas.

(Por Heather Somerville e Dan Levine)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos