Estado Islâmico é expulso da cidade de Palmira, na Síria

BEIRUTE (Reuters) - Forças do governo sírio apoiadas por forte apoio aéreo russo expulsaram o Estado Islâmico de Palmira neste domingo, desferindo aquilo que o exército chamou de um "golpe mortal" a militantes que capturaram a cidade no ano passado e dinamitaram seus templos antigos.

A perda de Palmira representa um dos maiores revezes sofridos pelo grupo radical islâmico desde que declarou um califado em 2014 ao longo de extensos trechos da Síria e do Iraque.

O comando geral do exército disse que suas forças conquistaram a cidade com o apoio de ataques aéreos russos e sírios, fornecendo uma abertura para as terras desérticas no leste que levam às fortalezas do Estado Islâmico de Raqqa e Deir al-Zor.

Palmira se tornará "uma plataforma de lançamento para expandir operações militares" contra o grupo naquelas duas províncias, afirmou, prometendo "apertar o cerco contra o grupo terrorista e interromper rotas de oferta... antes da retomada completa".

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que ainda havia conflitos no leste de Palmira na manhã de domingo, em torno da prisão e dentro do aeroporto, mas a maior parte das forças do Estado Islâmico recuaram para o leste, deixando a cidade sob o controle do presidente Bashar al-Assad.

Amaq, uma agência de notícias próxima ao Estado Islâmico, disse que seus soldados lançaram um ataque suicida duplo contra forças do governo no oeste de Palmira, sem dar mais detalhes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos