Gerente de campanha de Trump é acusado de agredir repórter

WASHINGTON (Reuters) - O gerente de campanha do principal pré-candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, foi acusado de agressão no Estado da Flórida nesta terça-feira devido a alegações de que agarrou uma repórter à força durante um evento.

A polícia da cidade de Jupiter acusou Corey Lewandowski, de 42 anos, de agarrar e machucar intencionalmente o braço de Michelle Fields, na ocasião uma repórter do site conservador Breitbart, quando ela tentava fazer uma pergunta a Trump em um evento de campanha no dia 8 de março.

"O senhor Lewandowski é absolutamente inocente desta acusação", afirmou a campanha de Trump em um comunicado. "Ele irá apresentar uma declaração de inocência e aguarda sua chance de ir ao tribunal. Ele está completamente confiante de que será inocentado".

A polícia divulgou um vídeo que registrou o incidente. A filmagem mostra Michelle andando ao lado de Trump e Lewandowski agarrando seu braço e a puxando para trás enquanto ela tenta entrevistar o magnata. Em vídeos anteriores do episódio a multidão bloqueava a visão.

Os comícios de Trump, empresário bilionário que lidera a corrida pela indicação republicana para a eleição presidencial do dia 8 de novembro, vem sendo marcados por cenas de desordem e contatos físicos ocasionais entre manifestantes e apoiadores ou seguranças.

Lewandowski foi acusado de agressão simples, definida pela lei da Flórida como o ato de tocar ou atingir uma pessoa intencionalmente e contra a sua vontade. No caso de um réu primário a agressão é vista como um delito de primeiro grau, que implica em uma pena máxima de um ano de prisão ou uma multa de mil dólares.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos