Para Cunha, decisão de rompimento do PMDB é tardia, partido não pode ser "sócio de ônus"

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), considerou até tardia a decisão de rompimento do PMDB com o governo nesta terça-feira e disse que não fazia sentido o partido ser "sócio de ônus" de um governo no qual não participava das decisões.

Rompido com o governo desde julho do ano passado, Cunha lembrou que já em 2014 boa parte do partido já defendia a não coligação com o PT para a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos