PMDB oficializa rompimento com governo Dilma em reunião do diretório

BRASÍLIA (Reuters) - O PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer e que conta com as maiores bancadas na Câmara e no Senado, anunciou nesta terça-feira que deixará o governo, em uma decisão que aumenta muito as chances de aprovação de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Além de Temer, integram o governo mais seis ministros. O partido também decidiu entregar todos os cargos no governo federal e realizar processo no conselho de ética da legenda contra os filiados que não deixarem seus postos no governo.

Na segunda-feira, o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves foi o primeiro peemedebista a deixar o ministério de Dilma ao pedir demissão do comando da pasta do Turismo.

(Reportagem de Leonardo Goy e Maria Carolina Marcello)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos