Após Câmara autorizar impeachment, Cunha pede celeridade em análise no Senado

BRASÍLIA (Reuters) - Na primeira entrevista após a aprovação do pedido de abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pediu celeridade ao Senado na apreciação do tema, afirmando que “quanto mais tempo se levar para decidir no Senado, a situação vai piorar”.

“A máquina vai parar a partir de amanhã, então o Brasil vai parar a partir de amanhã, é muito importante que nesse processo tenha um desfecho com a maior celeridade, qualquer que seja o resultado”, disse Cunha, lembrando que alguns ministros se afastaram do cargo para votar neste domingo e outros saíram do governo.

O presidente da Câmara, que é desafeto do governo e votou a favor do impedimento, disse que vai ligar para o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para tentar combinar um horário para levar até ele pessoalmente a decisão da Câmara na segunda-feira.

(Reportagem de Leonardo Goy)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos