Número de mortos por terremoto no Equador ultrapassa 600; país tem novos tremores

PEDERNALES/PORTOVIEJO (Reuters) - O número de mortos por um devastador terremoto de magnitude 7,8 no Equador subiu para 602 nesta sexta-feira, enquanto dezenas de tremores sacudiram cidades e vilas em todo o país, assustando moradores, mas sem causar danos maiores.

O terremoto de sábado, o pior em quase sete décadas, feriu 12.492 pessoas e deixou 130 desaparecidos, afirmaram as autoridades de gestão de emergência em um boletim.

Os sobreviventes ficaram abalados novamente na quinta-feira à noite, quando um terremoto de magnitude 6,0 atingiu a costa do Equador, cerca de 100 km a norte-noroeste de Portoviejo, e a uma profundidade de 10 km.

"Quando começou a tremer na noite passada nós começamos a rezar", disse Alex Bachón, de 43 anos, um operário que trabalha na reparação de danos causados ​​pelo terremoto de sábado em um hotel de Guayaquil. "Eu nunca vi nada parecido com isso, foi muito ruim."

Houve mais de 70 tremores secundários na quinta e sexta-feiras, segundo o instituto de geologia do país. Desde o terremoto de sábado, um total de 700 tremores secundários ocorreu no Equador.

Os tremores vão continuar por várias semanas, alertou a autoridade de emergência Ricardo Peñaherrera nesta sexta-feira, pedindo aos equatorianos para ficarem calmos.

(Reportagem de Guillermo Granja em Pedernales e Henry Romero em Portoviejo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos