Trump ataca Hillary e diz que ela explora gênero para ganhar votos

Por Doina Chiacu

WASHINGTON (Reuters) - O líder da disputa para se tornar o candidato republicano a presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, entrou em território político de risco nesta semana quando acusou a democrata Hillary Clinton de explorar o seu gênero para ganhar votos e disse que ela teria pouco apoio se não fosse mulher.

À medida que Trump e Hillary, depois de grandes vitórias em primárias de Estados do nordeste do país na terça-feira, se preparam para uma possível disputa nas eleições presidenciais de 8 de novembro, o comentário dele é um presságio do que pode ser uma campanha maldosa pouco comum.

Como em outros comentários polêmicos durante a atual campanha, as declarações de Trump atraíram críticas de um amplo espectro político, mas também reforçaram a sua imagem, atrativa para alguns simpatizantes, de não seguir padrões.

"A única coisa que ela tem no momento é o fato de ela ser uma mulher”, disse Trump à rede de TV NBC, se recusando a recuar por atacar Hillary pelo que ele descreve como “jogar a cartada de ser mulher”.

As afirmações de Trump, alcançando uma área de ataques relacionados a gênero que é convencionalmente vista como fora dos limites, energizaram os democratas.

"Continue falando, Donald Trump”, disse a presidente do Comitê Nacional Democrata, Debbie Wasserman Schultz, à CNN na quarta-feira. "A cada dia que Donald Trump abre a boca, ele faz mais para alienar as mulheres.”

Trump, que pode mostrar a mesma liberdade nos ataques pessoais em relação a homens, tem consistentemente se saído mal junto ao eleitorado feminino. Democratas e republicanos acusam Trump de sexismo por conta de insultos verbais contra a âncora da Fox News Megyn Kelly e a ex-pré-candidata republicana Carly Fiorina.

Na quarta, o rival mais perto de Trump na corrida pela nomeação republicana, o senador Ted Cruz, do Texas, nomeou Carly Fiorina como a sua companheira de chapa se ele levar a indicação do partido, uma iniciativa que poderia ajudá-lo a conquistar o apoio das mulheres.

"Donald tem um problema com mulheres fortes”, disse Cruz à imprensa em Indiana, após um comício. “Isso não é sutil, não é complicado.”

A senadora democrata Barbara Boxer disse que Trump está insultando todas as mulheres quando ataca Hillary e outras dessa maneira.

"Ou Trump está passando tempo demais na Trump Tower dele e não tem ideia sobre o que está acontecendo, ou ele realmente não gosta de mulheres e se sente ameaçado por elas”, afirmou a senadora à NBC.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos