Governo colombiano acusa ELN de sequestrar três jornalistas

BOGOTÁ, 26 Mai(Reuters) - O exército de Libertação Nacional, segunda força de guerrilha da Colômbia depois das Farc, é o responsável pelo desaparecimento de três jornalistas, inclusive uma espanhola, no nordeste do país, afirmou nesta quinta-feira o ministro da Defesa do país, Luis Carlos Villegas.

Salud Hernández, jornalista do diário El Mundo, da Espanha, e do colombiano El Tiempo, desapareceu no último sábado próximo ao município de El Tarra, no estado de Norte de Santander, na fronteira com a Venezuela, enquanto fazia uma reportagem sobre o cultivo de folhas de coca.

Dois jornalistas colombianos do canal de televisão RCN, que também viajaram à região para cobrir o desaparecimento, forem presos na segunda-feira pelos rebeldes da ELN, disseram autoridades militares colombianas.

"Com base em informações de inteligência recolhidas até agora, se pode dizer com certeza que o ELN é o responsável pelo desaparecimento dos três profissionais", disse Villegas.

O grupo não confirmou nem negou até o momento que os jornalistas estão em seu poder.

O governo e a ELN, que tem cerca de 2000 combatentes, acertaram no final de março o início de um diálogo de paz como parte dos esforços para acabar com um conflito de mais de meio século que deixou 220.000 mortos. No entanto, o presidente Juan Manuel Santos condicionou o início das negociações à suspensão dos sequestros e ataques contra oleodutos.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos