Governo francês permanecerá firme sobre a reforma trabalhista, diz ministro das Finanças

PARIS (Reuters) - O plano para reformular as regras de trabalhistas é crucial para provar a capacidade da França de fazer reformas, e o governo vai se manter firme apesar dos protestos de rua e bloqueios de refinarias, disse o ministro das Finanças do país, Michel Sapin, disse em entrevista.

O governo está sob pressão para encontrar uma solução para o impasse com o sindicato linha dura CGT sobre a reforma trabalhista a poucos dias antes do início do campeonato de futebol Euro 2016 na França, que a representação sindical ameaça interromper.

"Em primeiro lugar, devemos ser firmes", disse Sapin em uma entrevista à Reuters e a três jornais europeus.

"Fazer o contrário seria errado com os (outros) sindicatos, que apoiam o texto."

O linha dura CGT tem organizado protestos de rua, greves de trem e bloqueios de refinarias para pressionar o governo a desistir dos planos de reforma.

Mas a moderado CFDT, outro grande sindicato da França, apoia a reforma que permitirá que as empresas demitam com mais facilidade em tempos difíceis, mas também dará mais poder aos sindicatos para negociar acordos com cada empresa e não em âmbito nacional.

(Por Ingrid Malander)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos