Ex-presidente do Chade é condenado à prisão perpétua por crimes contra a humanidade

DACAR (Reuters) - Hissene Habre, ex-presidente do Chade, foi considerado nesta segunda-feira culpado de crimes contra a humanidade por ordenar a tortura e o assassinato de milhares de opositores políticos durante seus oito anos de governo durante a Guerra Fria.

Também considerado culpado de estupro, Habre foi condenado à prisão perpétua pela Câmara Especial Africana, um tribunal criado em 2013 pelo Senegal e pela União Africana.

O veredicto encerra uma batalha de 16 anos de vítimas e de ativistas de direitos humanos para levar o ex-líder à Justiça no Senegal, para onde ele fugiu depois de ser deposto por um golpe de Estado em 1990.

"A condenação de Habre por estes crimes horrendos depois de 25 anos é uma vitória imensa para suas vítimas chadianas", disse Reed Brody, pesquisador da entidade humanitária Human Rights Watch, que ajudou a investigar os crimes de Habre.

Habre tem duas semanas para apelar da sentença.

O caso se centrou na questão de Habre, louvado na Casa Branca em 1987 pelo então presidente norte-americano Ronald Reagan depois de expulsar forças líbias do Chade, ter ordenado ou não a tortura e o assassinato de milhares de oposicionistas e rivais étnicos.

Uma Comissão da Verdade criada em 1992 acusou o governo de Habre de ter cometido até 40 mil assassinatos políticos, além de tortura sistemática, levados a cabo principalmente por sua temida agência de inteligência, o Diretoria de Documentação e Proteção (DDS).

         (Por Diadie Ba)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos