Irmão de envolvido em ataques de Paris é acusado de treinar para ser militante

(Reuters) - Sete pessoas foram a julgamento em Paris nesta segunda-feira acusadas de viajar à Síria para participar de treinamento de militantes combatentes, entre os julgados está o irmão de um dos autores dos ataques que deixaram 130 mortos na capital francesa em novembro passado.

Os sete, com idades entre 24 e 27 anos, podem passar até 10 anos na prisão se forem considerados culpados de participar do recrutamento de uma rede islâmica e receber treinamento do grupo extremista Estado Islâmico na Síria.

Os acusados, uma gangue de amigos do sul francês, integravam um grupo maior que viajou em dezembro de 2013 para o território sírio, onde dois deles morreram.

Todos, menos um, voltaram à França no início de 2014. Aquele que ficou para trás foi Foued Mohamed-Aggad, um dos três militantes que mataram 90 pessoas na casa de shows Bataclan durante os ataques múltiplos em Paris.

Dois dos três se suicidaram detonando coletes de explosivos, e outro foi morto a tiros pela polícia.

O irmão de Foued, Karim Mohamed-Aggad, é um dos sete réus que inicialmente disseram aos investigadores que acreditavam estar indo à Síria para uma missão humanitária. Vários deles admitiram estar portando armas, mas disseram tê-lo feito sob coerção.

A equipe de defesa do grupo afirmou que os sete acusados foram enganados e que quando perceberam estar nas mãos de uma rede militante procuraram uma maneira de escapar.      

      (Por Chine Labbe)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos