EUA transferem prisioneiro iemenita de Guantánamo para Itália

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos disseram neste domingo que transferiram um prisioneiro iemenita de Guantánamo para a Itália, levando o número de detidos na base naval dos EUA em Cuba para 78.

    Fayiz Ahmad Yahia Suleiman teve a transferência aprovada há cerca de seis anos por seis agências norte-americanas: os Departamentos de Defesa, Estado, Justiça e Segurança Interna; o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional e do Joint Chiefs of Staff.

    O presidente dos EUA, Barack Obama, que esperava fechar a prisão durante o seu primeiro ano no cargo, lançou seu plano em fevereiro destinado a fechar as instalações. Mas ele enfrenta a oposição de legisladores republicanos, bem como de alguns colegas democratas.

    A maioria dos 78 prisioneiros que permanecem em Guantánamo estão mantidos sem acusação ou foram julgados há mais de uma década, atraindo a condenação internacional.

    Os prisioneiros de Guantánamo foram detidos no exterior quando os Estados Unidos se envolveram em guerras no Afeganistão e no Iraque após os atentados de 11 de setembro de 2001.

(Por Arshad Mohammed; reportagem adicional de Matt Spetalnick)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos