Trump diz a Hillary que não vai mais ser "o cara legal"

COLORADO SPRINGS, Colorado, EUA (Reuters) - O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que vai lançar mão de todos os meios necessários para derrotar a candidata democrata, Hillary Clinton, na corrida à Casa Branca, após ser duramente criticado nos discursos da Convenção Nacional Democrata.

Trump encerrou uma turnê de cinco dias por sete Estados na sexta-feira, no Colorado, onde seus apoiadores gritaram, pelo quinto dia consecutivo, "prendam ela", sempre que o nome de Hillary era mencionado.

Os apoiadores de Trump afirmam que Hillary Clinton merece ser processada pela forma como geriu a política externa norte-americana quando foi secretária de Estado no governo de Barack Obama, usando inclusive sua conta de email particular para tratar de assuntos oficiais.

Ao longo da semana, Trump tentou abafar os pedidos de prisão da democrata, ressaltando que seu objetivo é somente derrotar Hillary na eleição presidencial de 8 de novembro. Mas quando a multidão voltou a gritar na cidade de Colorado Springs, Trump enfim cedeu.

"Estou começando a concordar com vocês, francamente", disse ele. "Chega de ser o cara legal."

Depois, em Denver, ele abrandou o tom ao ouvir novamente o grito da multidão. "Vou dizer o que prefiro fazer, honestamente, que é derrotá-la nas urnas em 8 de novembro. Ela seria um desastre", afirmou ele.

(Reportagem de Steve Holland)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos