Manifestantes e policiais entram em confronto durante protesto anti-Mugabe no Zimbábue

Por MacDonald Dzirutwe

HARARE (Reuters) - A polícia do Zimbábue usou gás lacrimogêneo e canhões de água para dispersar manifestantes antigoverno, que responderam atirando pedras, durante um protesto nesta sexta-feira contra o presidente Robert Mugabe, disse uma testemunha da Reuters.

Mais de uma centena de policiais da tropa de choque, auxiliados por canhões de água e caminhões blindados, ocuparam o local onde partidos de oposição planejavam fazer uma passeata.

Os adversários de Mugabe se sentiram encorajados pela revolta popular e pelas manifestações contra a crise econômica, a escassez de dinheiro em espécie e o desemprego alto. Mugabe, de 92 anos, comanda o Zimbábue desde sua independência do Reino Unido em 1980.

À medida que chegavam para a passeata, os manifestantes eram instruídos pela polícia a deixar o local. Os agentes dispararam gás lacrimogêneo e usaram canhões de água quando parte da multidão se recusou a obedecer, segundo testemunha da Reuters.

Algumas dezenas de manifestantes, que mais cedo haviam entoado slogans anti-Mugabe, atiraram pedras na polícia e incendiaram pneus perto da praça onde o protesto deveria ter início.

"Não vamos a lugar algum, e protestar é a única solução que restou para forçar o ditador a sair", disse Tapfuma Make, desempregado de 24 anos da cidade de Chitungwiza, que fica ao sul da capital Harare.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos