Polícia de Bangladesh identifica militantes mortos em conexão com ataque a cafeteria de Daca

DACA (Reuters) - Um dos três militantes mortos pelas forças de segurança de Bangladesh no sábado, em conexão com o ataque a uma cafeteria em Daca, em julho, tinha origem de uma área rica da capital, assim como outros agressores, e frequentava uma prestigiosa universidade estrangeira, disse a polícia neste domingo.

Towsif Hossain era do bairro rico de Dhanmondi e estava desaparecido desde fevereiro. Assim como Nibras Islam, um dos cinco jovens que atacaram a cafeteria antes de ser morto após uma perseguição de 12 horas, no dia 2 de julho, Hossain frequentava o campus em Kuala Lumpur da prestigiosa Monash University, da Austrália, disse aos jornalistas o chefe da unidade antiterrorismo da polícia de Daca.

O outro militante morto na manhã de sábado foi Fazle Rabbi, proveniente do bairro de Jessore, no noroeste de Daca. Ele estava desaparecido desde abril, informou Monirul Islam, o chefe antiterrorismo. A família de Rabbi fugiu, disse a polícia.

O ataque contra a cafeteria foi assumido pelo Estado Islâmico. Na ocasião, 22 pessoas foram mortas, a maioria estrangeiros. O atentado alarmou os especialistas em política e segurança devido ao perfil dos agressores: jovens bem educados de origem privilegiada e recém-convertidos à militância islamista. Hossain e Rabbi tinham em torno de 25 anos, disse a polícia.

(Reportagem de Serajul Quadir)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos