Fischer, do Fed, diz que mercado de trabalho dos EUA está "muito perto" do pleno emprego

WASHINGTON (Reuters) - O mercado de trabalho dos Estados Unidos está perto do pleno emprego e o ritmo de aumentos da taxa de juros do Federal Reserve vai depender de quão bem a economia está, disse o vice-chair do Fed, Stanley Fischer, nesta terça-feira.

Em entrevista à TV Bloomberg, Fischer não fez comentários sobre o momento da próxima elevação dos juros pelo Fed, mas disse que "nós escolhemos o ritmo com base em dados", acrescentando que nos EUA "o emprego está muito próximo do pleno emprego."

A chair do Fed, Janet Yellen, disse na sexta-feira acreditar que a hipótese de um aumento da taxa de juros ficou mais forte nos últimos meses, comentários que Fischer afirmou serem consistentes com a visão de que o banco central norte-americano pode aumentar os juros em sua próxima reunião, em setembro.

Questionado sobre o dólar na terça-feira, Fischer disse que a força da moeda afetou a inflação nos EUA e os lucros das empresas, mas melhorias no mercado de trabalho mostraram que a economia tinha resistido a este contratempo.

O Fed tem sinalizado desde março que elevaria os juros duas vezes neste ano, mas os investidores têm sido céticos.

(Por Jason Lange)

(Por Jason Lange)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos