Evo Morales acusa Chile de restringir acesso a portos

GENEBRA (Reuters) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse nesta sexta-feira ao Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas que o Chile restringiu acesso aos portos costeiros, em violação aos acordos de passagem livre, na mais recente tensão entre os tradicionais rivais.

"Centenas de testemunhos de homens e mulheres bolivianos afetados - tratados pobremente e vítimas de recorrentes violações aos direitos humanos - contam uma história de racismo de práticas discriminatórias", disse Morales em discurso ao conselho em Genebra.

Autoridades chilenas negaram impedimento de bolivianos aos portos.

Em maio, Morales acusou o Chile de montar uma base militar na fronteira com a Bolívia, ato que autoridades chilenas também negam.

Em junho, o Chile entrou com ação no Tribunal de Haia sobre disputas do rio Silala, compartilhado pelas duas nações, após Morales ameaçar entrar com ação contra o Chile pelo direito das águas.

(Reportagem de Stephanie Ulmer-Nebehay)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos